Prescrição farmacêutica de medicamentos fitoterápicos

Conteúdo do artigo principal

Paola Alvares Marques
Thainá Aparecida Simão
Marina Maki Moriya
Gabriel Dias
Valeria Maria de Souza Antunes
Carlos Rocha Oliveira

Resumo

A prescrição de fitoterápicos por farmacêuticos é uma área recente e ainda em desenvolvimento e, mesmo sendo a terapia medicinal mais antiga do mundo, sempre foi prescrito por médicos. Sabe-se muito pouco sobre suas interações medicamentosas e alimentares e sobre suas toxicidades, já que são compostos de extrema complexidade. Os medicamentos vegetais, que em tempos não muito distantes eram uma forma de medicina empírica, tornaram-se hoje um grande mercado e cada vez mais se investe em pesquisas ao redor do mundo em busca de novas moléculas advindas da natureza. Este trabalho visa analisar a questão da prescrição farmacêutica de fitoterápicos ser mais utilizada pela população, visto que é uma possibilidade acessível e que, aparentemente, é desconhecida pela população, que não está habituada a consultas com o farmacêutico prescritor. Foram estudados 107 prontuários preenchidos durante as consultas realizadas com os alunos de graduação e pós-graduação do curso de Farmácia, acompanhados de um professor farmacêutico prescritor de fitoterapia no Centro Integrado de Saúde (CIS), dentro do Campus Centro da Universidade Anhembi Morumbi. Concluímos que apenas 20% da população atendida retornou para suas consultas de acompanhamento. Os dados obtidos mostram que a população não possui conhecimento sobre esta atribuição do farmacêutico, fato que se fosse exposto, poderia ajudar a população como um todo, uma vez que o farmacêutico faz parte do sistema de saúde e é o profissional detentor do conhecimento sobre interações medicamentosas e toxicológicas, entre outras.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Marques PA, Simão TA, Moriya MM, Dias G, Antunes VM de S, Oliveira CR. Prescrição farmacêutica de medicamentos fitoterápicos. Braz. J. Nat. Sci [Internet]. 11º de janeiro de 2019 [citado 24º de setembro de 2021];2(1):15. Disponível em: https://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/47
Seção
Artigo Original

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>