Cannabis sativa Uso de fitocanabinóides para o tratamento da dor crônica

Conteúdo do artigo principal

Amanda Aparecida Fernandes de Souza
Andreza Francisca Mendes da Silva
Thais Ferreira Silva
Carlos Rocha Oliveira

Resumo

A Cannabis sativa e a Cannabis indica, são os principais alvos em estudos farmacológicos dentro do gênero Cannabis, as quais fazem parte da família das Cannabaceae. A mais utilizada é a Cannabis sativa, sendo esta popularmente o foco de estudos avançados sobre a sua utilização para o tratamento de diversas patologias como, por exemplo, a dor neuropática2. Este artigo, tem como objetivo, a desconstrução do ideal de que a Cannabis sativa é somente uma das drogas de abuso, da classe dos alucinógenos mais utilizadas no mundo, pois apesar de sua imagem negativa, este estudo busca apresentar que estão surgindo muitas pesquisas referentes ao seu uso medicinal, com resultados relevantes para seu uso terapêutico23. A Cannabis possui mais de sessenta fitocanabinóides farmacologicamente ativos 10 e o fitocanabinóides relacionado a atividade psicoativa da Cannabis é chamado de Δ9-tetrahidrocanabinol (THC), porém também foi constatado através de análises que a mesma substância apresenta ações farmacológicas, com propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, estimulante de apetite, broncodilatador e a ação na redução da pressão ocular8. Outro fitocanabinóides que possui efeito farmacológico é o canabidiol, uma vez que o mesmo está relacionado a efeitos ansiolíticos, antieméticos, antipsicóticos, imunomoduladores, entre outros9. Para chegar as suposições que a Cannabis possui efeitos terapêuticos na dor, foram necessários estudos baseados na fisiologia da dor, porém o atual tratamento feito por canabinóides não são de primeira escolha, sendo apenas considerado quando há resistência aos tratamentos convencionais10 .

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Fernandes de Souza AA, Mendes da Silva AF, Silva TF, Oliveira CR. Cannabis sativa: Uso de fitocanabinóides para o tratamento da dor crônica. Braz. J. Nat. Sci [Internet]. 11º de janeiro de 2019 [citado 24º de setembro de 2021];2(1):20. Disponível em: https://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/30
Seção
Artigos de Revisão

Referências

SILVA, Thiago Henrique. SOUSA, Árlen Almeida.ROQUETTE, Maria Luiza. BALDO, Thaís de Oliveira. A LEGALIZAÇÃO DA MACONHA E OS IMPACTOS NA SOCIEDADE BRASILEIRA. Revista Humanidades, v. 6, n. 2, jul. 2017. Disponível em: http://www.revistahumanidades.com.br/arquivos_up/artigos/a130.pdf Acesso em: 01 ago. 2018.

OLIVEIRA, Kauanna Lamartine . LIMA,Thais Paula. Cannabis Sativa: Potencial terapêutico. 2016. 30f. Trabalho de conclusão de curso - Faculdade São Lucas, Porto Velho, 2016.

SILVANO, Marciele. DA POSSIBILIDADE DA DESCRIMINALIZAÇÃO E DA LEGALIZAÇÃO DA MACONHA NO BRASIL E SUAS CONSEQUÊNCIAS. 2014, 67f. Trabalho de conclusão de curso-Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC, criciúma, 2014. Disponível em: http://repositorio.unesc.net/bitstream/1/2748/1/Marciele%20Silvano.pdf Acesso em: 11 set. 2018.

ALVES, José Edgard de Oliveira et al. MECANISMOS FISIOPATOLÓGICOS DA NOCICEPÇÃO E BASES DA ANALGESIA PERIOPERATÓRIA EM PEQUENOS ANIMAIS. Acta Biomédica Brasiliensia, [s.l.], v. 8, n. 1, p.56-68, 21 jul. 2017. Universidade Iguacu - Campus V. http://dx.doi.org/10.18571/acbm.122.

SILVERTHORN, Dee Unglaub. Fisiologia humana: uma abordagem integrada. 7. ed. Porto Alegre: Artmed, 2017. Disponível em: <https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788582714041/cfi/1!/4/4@0.00:52.3>. Acesso em: 29 ago. 2018.

DISSANAYAKE, D.w.n.; DISSANAYAKE, D.m.d. The physiology of pain: an update and review of clinical relevance. Journal Of The Ceylon College Of Physicians, [s.l.], v. 46, n. 1-2, p.19-23, 12 maio 2016. Sri Lanka Journals Online (JOL). http://dx.doi.org/10.4038/jccp.v46i1-2.7740.

RANG, H. P.; DALE, M. M.; RITTER, J. M.. Farmacologia. 6. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.

ROBSON, P. J.. Therapeutic potential of cannabinoid medicines. Drug Testing And Analysis, [s.l.], v. 6, n. 1-2, p.24-30, 4 set. 2013. Wiley. http://dx.doi.org/10.1002/dta.1529. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/dta.1529>. Acesso em: 01 ago. 2018.

ANDRE, Christelle M.; HAUSMAN, Jean-francois; GUERRIERO, Gea. Cannabis sativa: The Plant of the Thousand and One Molecules. Frontiers In Plant Science, [s.l.], v. 7, p.1-17, 4 fev. 2016. Frontiers Media SA. http://dx.doi.org/10.3389/fpls.2016.00019. Disponível em: <https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fpls.2016.00019/full>. Acesso em: 20 jul. 2018.

HILL, Kevin P.. Medical Marijuana for Treatment of Chronic Pain and Other Medical and Psychiatric Problems. Jama, [s.l.], v. 313, n. 24, p.2474-2483, 23 jun. 2015. American Medical Association (AMA). http://dx.doi.org/10.1001/jama.2015.6199. Disponível em: <https://jamanetwork.com/journals/jama/article-abstract/2338266>. Acesso em: 30 jul. 2018.

DARKOVSKA-SERAFIMOVSKA, Marija et al. Pharmacotherapeutic considerations for use of cannabinoids to relieve pain in patients with malignant diseases. Journal Of Pain Research, [s.l.], v. 11, p.837-842, abr. 2018. Dove Medical Press Ltd.. http://dx.doi.org/10.2147/jpr.s160556. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29719417>. Acesso em: 28 jul. 2018.

BARROS, André. PERES, Marta. Proibição da maconha no Brasil e suas raízes históricas escravocratas. Revista Periferia, v. III, 2013. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/periferia/article/viewFile/3953/2742 Acesso em: 20 jul. 2018.

BRASIL. Lei nº 11.343, de 26 de agosto de 2006. Institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - Sisnad; prescreve medidas para prevenção do uso indevido, atenção e reinserção social de usuários e dependentes de drogas; estabelece normas para repressão à produção não autorizada e ao tráfico ilícito de drogas; define crimes e dá outras providências.. Lei Nº 11.343, de 23 de Agosto de 2006. Brasília , 26 ago. 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2006/lei/l11343.htm. Acesso em: 20 jul. 2018.

OVIEDO, Guilherme Kanning. LEGALIZAÇÃO DA MACONHA: O CASO DO URUGUAI E SEUS IMPACTOS SOCIOECONÔMICOS NO PAÍS. 2015, 39f. Trabalho de conclusão de curso-Universidade federal do Paraná, Curitiba, 2015. Disponível em:https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/45079/MONOGRAFIA14-2015-1.pdf?sequence=1&isAllowed=y Acesso em: 11 set, 2018.

BURGIERMAN, D. R. O fim da guerra: a maconha e a criação de um novo sistema para lidar com as drogas. São Paulo: Leya, 2011.

JANEIRO, Inês Margarida Inácio. FISIOLOGIA DA DOR. 2017. 52 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Escola de Ciências e Tecnologias da Saúde, Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Lisboa, 2017. Disponível em: <http://recil.grupolusofona.pt/handle/10437/8904>. Acesso em: 28 ago. 2018.

GOMEZ, Rosane; TORRES, Iraci Lucena da Silva. Farmacologia Clínica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2017.

KATZUNG, Bertram G. Farmacologia básica e clínica. 13. ed. Porto Alegre: Amgh, 2017. Disponível em: <https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788580555974/cfi/1!/4/4@0.00:55.7>. Acesso em: 28 ago. 2018.

GOLAN, David E. Princípios de farmacologia: a base fisiopatológica da farmacoterapia. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014. Disponível em: <https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/978-85-277-2600-9/cfi/6/10!/4/16@0:52.1>. Acesso em: 29 ago. 2018.

TREEDE, Rolf-detlef et al. A classification of chronic pain for ICD-11. Pain, [s.l.], p.1003-1007, mar. 2015. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/j.pain.0000000000000160. Disponível em: <https://insights.ovid.com/crossref?an=00006396-900000000-99874>. Acesso em: 01 ago. 2018.

POSSO, Irimar de Paula; PALMEIRA, Cláudia Carneiro de Araújo; VIEIRA, Érica Brandão de Moraes. Epidemiology of neuropathic pain. Revista Dor, [s.l.], v. 17, p.11-14, 2016. GN1 Genesis Network. http://dx.doi.org/10.5935/1806-0013.20160039.

CASEY, Sherelle L.; ATWAL, Nicholas; VAUGHAN, Christopher W.. Cannabis constituent synergy in a mouse neuropathic pain model. Pain, [s.l.], v. 158, n. 12, p.2452-2460, dez. 2017. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1097/j.pain.0000000000001051. Disponível em: <https://insights.ovid.com/crossref?an=00006396-201712000-00019>. Acesso em: 20 jul. 2018.

MCLEOD, Scott A.; LEMAY, Jean-françois. Medical cannabinoids. Canadian Medical Association Journal, [s.l.], v. 189, n. 30, p.2456-2473, 30 jul. 2017. Joule Inc.. http://dx.doi.org/10.1503/cmaj.161395. Disponível em: <http://www.cmaj.ca/content/189/30/E995>. Acesso em: 01 ago. 2018.

BARON, Eric P.. Comprehensive Review of Medicinal Marijuana, Cannabinoids, and Therapeutic Implications in Medicine and Headache: What a Long Strange Trip It's Been …. Headache: The Journal of Head and Face Pain, [s.l.], v. 55, n. 6, p.885-916, 25 maio 2015. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/head.12570. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/head.12570>. Acesso em: 20 jul. 2018.

STOELTING, Robert K.. Manual de farmacologia e fisiologia na prática anestésica. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016. Disponível em: <https://integrada.minhabiblioteca.com.br/#/books/9788582713419/cfi/0!/4/4@0.00:0.00>. Acesso em: 28 ago. 2018.

MARZO, Vincenzo di; PISCITELLI, Fabiana. The Endocannabinoid System and its Modulation by Phytocannabinoids. Neurotherapeutics, [s.l.], v. 12, n. 4, p.692-698, 14 ago. 2015. Springer Nature. http://dx.doi.org/10.1007/s13311-015-0374-6. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs13311-015-0374-6>. Acesso em: 30 jul. 2018.

FINE, Perry G.; ROSENFELD, Mark J.. Cannabinoids for Neuropathic Pain. Current Pain And Headache Reports, [s.l.], v. 18, n. 10, p.1-15, 28 ago. 2014. Springer Nature. http://dx.doi.org/10.1007/s11916-014-0451-2. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11916-014-0451-2>. Acesso em: 28 jul. 2018.

LEE, Michael C. et al. Amygdala activity contributes to the dissociative effect of cannabis on pain perception. Pain, [s.l.], v. 154, n. 1, p.124-134, jan. 2013. Ovid Technologies (Wolters Kluwer Health). http://dx.doi.org/10.1016/j.pain.2012.09.017. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0304395912005453>. Acesso em: 30 ago. 2018.

JENSEN, Bjorn et al. Medical Marijuana and Chronic Pain: a Review of Basic Science and Clinical Evidence. Current Pain And Headache Reports, [s.l.], v. 19, n. 10, p.1-9, 1 set. 2015. Springer Nature. http://dx.doi.org/10.1007/s11916-015-0524-x. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11916-015-0524-x>. Acesso em: 30 jul. 2018.

DEVINSKY, Orrin et al. Cannabidiol: Pharmacology and potential therapeutic role in epilepsy and other neuropsychiatric disorders. Epilepsia, [s.l.], v. 55, n. 6, p.791-802, 22 maio 2014. Wiley. http://dx.doi.org/10.1111/epi.12631. Disponível em: <https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/epi.12631>. Acesso em: 28 jul. 2018.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>