Avaliações físico-químicas, fitoquímicas e bioativas do extrato hidroetanólico floral de Styrax ferrugineus Nedd & Mart. (Laranjinha-do-Cerrado)

Conteúdo do artigo principal

Antonio Carlos Pereira de Menezes Filho
Mariana Chaves Santos
Wendel Cruvinel de Sousa
Carlos Frederico de Souza Castro

Resumo

A espécie Styrax ferrugineus é facilmente encontrada em ambiente de Cerrado brasileiro, apresentando belas flores aromáticas. O estudo objetivou-se avaliar as características físico-químicas, fitoquímicas e bioativas do extrato floral hidroetanólico de S. ferrugineus. As flores floram coletadas e o extrato hidroetanólico 70% produzido por maceração. Foram realizados os seguintes ensaios para rendimento de extrato (%), massa seca (%), teor de umidade (%), pH, sólidos totais (%), índice de refração nD, densidade relativa g mL-1, flavonoides totais mg 100 g-1, varredura em UV-Vis entre 900 a 400 nm, fitoquímica qualitativa, cromatografia em camada delgada, atividade antioxidante na redução do DPPH, conteúdo de fenólicos totais, determinação do comprimento de ondas crítico entre 400 a 290 nm e atividade hemolítica (%). O rendimento de extrato foi de 10,43%, massa seca de 18,45%, teor de umidade de 81,55%, pH de 7,22, sólidos totais com 1,96%, índice de refração de 1,3721 nD, densidade relativa com 0,8406 g mL-1, flavonoides totais de 186,78 mg 100 g-1, o extrato apresentou importantes classes fitoquímicas, vários Rfs pela CCD, atividade antioxidante com CI50 de 22,74 µg mL-1, conteúdo de fenólicos totais de 256,31 mg EAG 100 g-1, extrato com fotoproteção para raios UVB e atividade hemolítica entre 62,07 a 15,40%. O extrato floral hidroetanólico de S. ferrugineus apresentou importes resultados tornando-o um forte candidato para o desenvolvimento de novas pesquisas na identificação dos compostos e para outros ensaios biológicos.  

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Filho ACP de M, Santos MC, de Sousa WC, Castro CF de S. Avaliações físico-químicas, fitoquímicas e bioativas do extrato hidroetanólico floral de Styrax ferrugineus Nedd & Mart. (Laranjinha-do-Cerrado). Braz. J. Nat. Sci [Internet]. 1º de dezembro de 2020 [citado 29º de junho de 2022];3(3):380. Disponível em: https://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/108
Seção
Artigo Original
Biografia do Autor

Antonio Carlos Pereira de Menezes Filho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano-IF Goiano

Mestre em Agroquímica pelo Instituto Federal Goiano, Campus Rio Verde, GO, Brasil

Graduado em Ciências Biológias pela Universidade de Rio Verde, Campus Rio Verde, GO, Brasil

Técnico em Açúcar e Álcool pelo Instituto Federal Goiano, Campus Rio verde, GO, Brasil

Mariana Chaves Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano-IF Goiano

Mestre em Agroquímica pelo IF Goiano, Campus Rio Verde, GO, Brasil

Graduada em Química pelo IFPI, Campus Terezinha, PI, Brasil

Wendel Cruvinel de Sousa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano-IF Goiano

Mestre em Agroquímica pelo IF Goiano, Campus Rio Verde, GO, Brasil

Graduado em Biologia pela Universidade Estadual de Goiás, Campus Iporá, GO, Brasil

Professor pela Rede Pública de Educação do Estado de Goiás, GO, Brasil

Carlos Frederico de Souza Castro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano-IF Goiano

Doutor em Química pela Universidade de Brasília, DF, Brasil

Mestre em Química pela Universidade de Brasília, DF, Brasil

Graduado em Química pela Universidade de Brasília, DF, Brasil

Professor pelo IF Goiano, Campus Rio Verde, GO, Brasil