Sistemas microestruturados empregando dispersões sólidas contendo óleo essencial de tomilho: desenvolvimento, síntese e caracterização físico-química e morfológica

Conteúdo do artigo principal

Marcelo Guimarães
Beatriz Rodrigues Siviero
Bruno Batista da Silva

Resumo

As dispersões sólidas constituem hoje um importante campo de pesquisa para o desenvolvimento de um sistema de liberação de fármacos que tenham como característica a hidrofobia, propriedade essa que dificulta a sua biodisponibilidade, fazendo com que sejam descartados de novas pesquisas. As vantagens proporcionadas são uma maior hidrossolubilidade através da dispersão em carreador hidrofílico e a diminuição micrométrica das partículas. Aliada ao aprimoramento de sistemas medicamentosos inovadores, essa pesquisa é uma alternativa no emprego de uma nova droga antiparasitária, campo que precisa urgentemente de melhoras devido à presença de resistência a farmacoterapia usual e a possibilidade de efeitos colaterais graves. Portanto, o objetivo deste trabalho é o desenvolvimento de dispersões sólidas utilizando o óleo essencial de tomilho (Thymus vulgaris), conhecido por sua atividade antiparasitária, sendo considerado um novo sistema de liberação medicamentosa. O método de preparo escolhido foi a técnica fusão-solvente, empregando o polietilenoglicol (PEG) como carreador. Sua caracterização deu-se por testes de espectrofotometria de infravermelho, análise térmica diferencial e termogravimetria, difração de raio-X e microscopia eletrônica. A análise de microscopia eletrônica demonstrou uma diminuição do tamanho de partículas, além do aumento no número destas partículas. As análises comparativas de infravermelho e difração de raios-X, sugerindo a correta encapsulação do óleo. Além disso, a análise térmica comparativa demonstrou uma interação positiva entre o fármaco e o carreador.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Guimarães M, Siviero BR, da Silva BB. Sistemas microestruturados empregando dispersões sólidas contendo óleo essencial de tomilho: desenvolvimento, síntese e caracterização físico-química e morfológica. Braz. J. Nat. Sci [Internet]. 21º de maio de 2019 [citado 29º de junho de 2022];2(2):página 64. Disponível em: https://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/55
Seção
Artigo Original

Referências

EWING, G.W. Métodos instrumentais de análise química. Volume 1. Estados Unidos: Blucher; 2011.

ROBBERS, J.E, Speedie MK, Tyler VE. Farmacognosia e farmacobiotecnologia. São Paulo: Premier, 1997.

STORPIRTIS, S.; Gonçalves JE, Chiann C, Gai MN. Ciências Farmacêuticas: Biofarmacotécnica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.