Boswellia serrata, harpagophytum procumbens e curcuma longa no manejo da osteoartrite

Conteúdo do artigo principal

Gisele Tedesco Palavro
Rogério da Silva Veiga

Resumo

A osteoartrite é um dos distúrbios do sistema osteoarticular mais comuns, chegando a atingir cerca de 15% da população mundial. Seu tratamento convencional é feito com medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios que possuem risco de efeitos adversos, como ulcerações gastrointestinais, eventos hemorrágicos e nefrotoxicidade. Vislumbrando novas alternativas de tratamento, esta revisão buscou evidências científicas em estudos clínicos feitos em humanos com as espécies vegetais Boswellia serrata Roxb., Harpagophytum procumben DC. e Curcuma longa L. em pacientes com osteoartrite. Os resultados observados com o uso da B. serrata foram alívio rápido da dor, redução da rigidez e recuperação da habilidade funcional articular, bem como sua segurança de uso em humanos, até mesmo por períodos prolongados. O extrato da cúrcuma-doméstica foi tão eficiente quanto o ibuprofeno no manejo da AO de joelho, os efeitos colaterais foram similares, porém com menos relatos de distúrbios gastrointestinais no grupo da cúrcuma-doméstica. O uso do Harpagophytum procumbens reduziu ou cessou o uso de analgésicos em 60% dos pacientes estudados, sendo comparado à diacereína. Os resultados encontrados nos apresentam um cenário muito promissor em se tratando de opções eficientes, acessíveis e seguras para o tratamento dos pacientes com problemas osteoarticulares, trazendo maior segurança de uso por
serem plantas de uso tradicional e milenar em algumas culturas.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Palavro GT, Veiga R da S. Boswellia serrata, harpagophytum procumbens e curcuma longa no manejo da osteoartrite. Braz. J. Nat. Sci [Internet]. 25º de maio de 2018 [citado 29º de junho de 2022];1(2):6. Disponível em: https://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/15
Seção
Artigo Original