Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de pacientes atendidos por um Centro Integrado de Saúde

Conteúdo do artigo principal

Antonio Carlos da Silva Sena
Camila Vicentini Pereira
Ellen da Silva Bezerra
Karine Kirihara Silva
Sthefany Keller Silveira Durão

Resumo

Introdução: O problema com a adesão a farmacoterapia é influenciada por diversos fatores que afetam significativamente os pacientes, tornando assim um desafio a ser solucionado e que continua por anos como um dos maiores problemas de saúde, para este estudo os dados foram coletados nos atendimentos realizados pelos alunos do curso de farmácia no Centro Integrado de Saúde da Universidade Anhembi Morumbi. Objetivo: Expor os principais motivos que levaram os pacientes atendidos pelo Centro Integrado de Saúde a não continuar com a farmacoterapia. Métodos: Os dados foram coletados em consulta médica, com o formulário estruturado partir do método Dáder. Cada caso foi estudado e classificado conforme o Problema Relacionado ao Medicamento (PRM) e se necessário aplicada a intervenção farmacêutica. Desta forma, construiu-se um perfil para análise, com base em problemas que levaram a não adesão, prescritor, sexo, faixa etária e escolaridade. Resultados: O maior problema em relação à adesão está relacionado a aquisição, seguido por reações adversas a medicamentos. Do total de prescrições feitas, 72% se referem a prescrições feitas por neurologistas e reumatologistas. 71% dos pacientes são do sexo feminino, demonstraram maiores abandonos a adesão farmacoterapêutica, e 60% dos pacientes com faixa etária acima de 50 anos, são os que mais abandonam o tratamento farmacoterápico, devido o uso de polifarmacia, esquecendo de tomar os medicamentos. Conclusão: O problema com adesão ao tratamento medicamentoso é prevalente na sociedade e um grande desafio a se enfrentar, devido a influência de fatores de diversas esferas, tornando o assunto difícil de se compreender, desta forma é necessário mais estudo e analises profundas para conseguir chegar a um denominador em comum para, então, desenvolver um plano de ação, porém concluímos que os mais relevantes problemas estão relacionados com a difícil aquisição do medicamento, sendo este o problema que possui interferência direta na farmacoterapia.

Detalhes do artigo

Como Citar
1.
Oliveira DF, Morais AS, Sena AC da S, Pereira CV, Bezerra E da S, Silva KK, Durão SKS. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de pacientes atendidos por um Centro Integrado de Saúde. Braz. J. Nat. Sci [Internet]. 1º de dezembro de 2020 [citado 29º de junho de 2022];3(3):430. Disponível em: https://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/113
Seção
Artigo Original

Referências

1. Ministério da Saúde. Adesão ao tratamento medicamentoso por pacientes portadores de doenças crônicas. Ministério da Saúde. Brasília, 2016. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sintese_evidencias_politicas_tratamento_medicamentoso.pdf. Acesso em: 19.Nov.2019
2. Scrinoli, C.P., Miron, V. C. Carolino, T. Daniela, C. P. L. Interações medicamentosas entre fármacos mais prescritos em unidade de terapia intensiva adulta, 2016. Disponível em: http://www.sbrafh.org.br/v1/public/artigos/2016070204000910BR.pdf. Acesso em: 19.Nov.2019
3. Anvisa, definição reação adversa. Disponivel em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:apfdQ9Wlq7gJ:portal.anvisa.gov.br/documents/33868/2895429/Perguntas%2Bfrequentes%2B%25E2%2580%2593%2BFarmacovigil%25C3%25A2ncia/f8935efb-7ba4-404e-96a7-271871f5f9d2+&cd=3&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acesso em: 19.Nov.2019
4. Modesto; Ferreira; Provin; Amaral; Lima, 2016; disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v40n3/1981-5271-rbem-40-3-0401.pdf. Acesso em: 20.Nov.2019
5.Carvalho,Rhanna Emanuela Fontenele Lima de; Reis, Adriano Max Moreira; Faria, Leila Márcia Pereira de. Prevalência de interações medicamentosas em unidades de terapia intensiva no Brasil. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v26n2/v26n2a08.pdf. Acesso em: 20.Nov.2019
6. Souza, Thais Teles; Godoy, Rangel Ray; Rotta, Inajara; Pontarolo, Roberto; Llimos, Fernando Fernandez; Correr, Cassyano Januário. Morbidade e mortalidade relacionadas a medicamentos no Brasil: revisão sistemática de estudos observacionais. Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada. Paraná, 2014. Disponível em: http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/Cien_Farm/article/view/2971/1621. Acesso em: 20.Nov.2019
7. Mourão-Juinor, Carlos Alberto; Souza, André Bedendode. Adesão ao uso de medicamentos: Algumas Considerações 2010. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, Londrina, v. 1, n. 1, p. 96-107, jun.. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/eip/v1n1/a07.pdf. Acesso em: 16. Dezembro.2019
8. Ministério da Saúde. Adesão ao tratamento medicamentoso por pacientes portadores de doenças crônicas. Ministério da Saúde. Brasília, 2016. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sintese_evidencias_politicas_tratamento_medicamentoso.pdf. Acesso em: 16. Dezembro.2019
9. Silveira, Lia Márcia Cruz da; Ribeiro, Victoria Maria Brant. Grupo de adesão ao tratamento: espaço de “ensinagem” para profissionais de saúde e pacientes. 2005. Interface - Comunic., Saúde, Educ.. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/icse/v9n16/v9n16a08.pdf.Acesso em: 16. Dezembro.2019
10. Tavares Nul, Bertoldi AD, Mengue SS, Arrais PSD, Luiza VL, Oliveira MA, et al. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de doenças crônicas no Brasil.RevSaude Publica. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v50s2/pt_0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006150.pdf. Acesso em: 16. Dezembro.2019
11. Boing AC, Bertoldi AD, Peres KG. Desigualdades socioeconômicas nos gastos e comprometimento da renda com medicamentos no Sul do Brasil. Rev Saúde Pública 2011; 45:897-905. Disponivel em
12. Remondi, Felipe Assan; ODA, Silas; Cabrera, Marcos Aparecido Sarria. Não adesão à terapia medicamentosa: da teoria a prática clínica. Revista de CiênciasFarmacêuticasBásica e Aplicada.Paraná, 2014. Disponível em: http://serv-bib.fcfar.unesp.br/seer/index.php/Cien_Farm/article/view/2836/2836. Acesso em: 16. Dezembro.2019
13. Vitória, M A de A. Conceito e recomendações básicas para melhorar a adesão ao tratamento anti-retroviral. Brasil. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/15conceitosrecbasicas.pdf. Acesso em: 16. Dezembro.2019
14. Josiane Lima de Gusmão1 , Décio Mion Jr.2 - Adesão ao tratamento – conceitos. Disponível em:
https://www.researchgate.net/profile/Decio_Mion2/publication/257426044_Adesao_ao_Tratamento__o_grande_desafio_da_hipertensao/links/57d1ef0808ae601b39a20daa/Adesao-ao-Tratamento-o-grande-desafio-da-hipertensao.pdf. Acesso em: 16. Dezembro.2019
15. Leite, Silvana Nair; Vasconcellos, Maria da Penha Costa. Adesão à terapêutica medicamentosa: elementos para a discussão de conceitos e pressupostos adotados na literatura. Ciênc. saúde coletiva, São Paulo , v. 8, n. 3, p. 775-782, 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232003000300011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17. Dezembro.2019
16. Tavares Nul, Bertoldi AD, Mengue SS, Arrais PSD, Luiza VL, Oliveira MA, et al. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de doenças crônicas no Brasil.RevSaudePublica. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v50s2/pt_0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006150.pdf. Acesso em: 16. Dezembro.2019
17. Barreto,Mayckel da Silva; Cremonese, Isabela Zara; Janeiro, Vanderly; Matsuda, Laura Misue; Marcon, Sonia Silva. Prevalência de não adesão à farmacoterapia anti-hipertensiva e fatores associados. Revista Brasileira de Enfermagem de Maringá, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v68n1/0034-7167-reben-68-01-0060.pdf. Acessoem: 17. Dezembro.2019
18. Gellad WF, Grenard JL, Marcum ZA. A systematic review of barriers to medication adherence in the elderly: looking beyond cost and regimen complexity. Am J GeriatrPharmacother 2011;9(1):11-23.Disponivel em: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v18n2/1809-9823-rbgg-18-02-00327.pdf. Acessoem: 17. Dezembro.2019
19. Cramer J. Identifying and improving compliance patterns. In: Cramer JA, Spilker B. Patient compliance in medical practice and clinical trials. New York: Raven Press 1991:387-392. Disponivelem: http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/13-1/06-adesao-ao-tratamento.pdf. Acessoem20.Dez.2019
20. Lee VW, Pang KK, Hui KC, Kwok JC, Leung SL, Yu DS, et al. Medication adherence: is it a hidden drugrelated problem in hidden elderly? GeriatrGerontolInt2013;13(4):978-85. Disponivel em: https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v18n2/1809-9823-rbgg-18-02-00327.pdf. Acesso em: 20. Dezembro.2019
21. Coleman CI, Limone B, Sobieraj DM, Lee S, Roberts MS, Kaur R et al. Dosing frequency and medication adherence in chronic disease. J Manag Care Pharm. 2012;18(7):527-39. DOI:10.18553/jmcp.2012.18.7.527. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v50s2/pt_0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006150.pdf. Acesso em: 20. Dezembro.2019
22. Osterberg L, Blaschke T. Adherencetomedication. New Engl J Med. 2005;353(5):487-97. DOI:10.1056/NEJMra050100. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v50s2/pt_0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006150.pdf. Acesso em: 16 maio 2020.
23. Mion Jr D, Pierin AMG. Causas de baixa adesão ao tratamento e o perfil de pacientes hipertensos. In: Congresso da Sociedade Brasileira de Hipertensão 5, São Paulo, 1996. Anais, p.120. Disponivel em: http://departamentos.cardiol.br/dha/revista/13-1/06-adesao-ao-tratamento.pdf. Acesso em: 16 maio 2020.
24. Revista Brasileira de Enfermagem. Maringá, 2015. Prevalência de não adesão à farmacoterapia anti-hipertensiva e fatores associados. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v68n1/0034-7167-reben-68-01-0060.pdf.Acesso em: 16 maio 2020.
25. Tavares NUL, Bertoldi AD, Mengue SS, Arrais PSD, Luiza VL, Oliveira MA, et al. Fatores associados à baixa adesão ao tratamento farmacológico de doenças crônicas no Brasil.RevSaude Publica. 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v50s2/pt_0034-8910-rsp-s2-S01518-87872016050006150.pdf. Acesso em: 16 maio 2020.
26. Barreto, Mayckel da Silva; Cremonese, Isabela Zara; JANEIRO, Vanderly; Matsuda, Laura Misue; Marcon, Sonia Silva. Prevalência de não adesão à farmacoterapia anti-hipertensiva e fatores associados. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reben/v68n1/0034-7167-reben-68-01-0060.pdf. Acesso em: 16 maio 2020.
27. Leite, Silvana Nair; Vasconcellos, Maria da Penha Costa. Adesão à terapêutica medicamentosa: elementos para a discussão de conceitos e pressupostos adotados na literatura. Ciênc. saúde coletiva, São Paulo , v. 8, n.3, p.775-782, 2003. Disponivel em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232003000300011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 16 maio 2020.