Análise dos parâmetros físico – químicos e organolépticos de sabonetes líquidos íntimos
Download

Palavras-chave

PALAVRAS-CHAVE: Estabilidade de Cosméticos; Genitália feminina; Rotulagem de Cosméticos.

Como Citar

1.
de Sousa TS, da Silva Lima A, da Silva E, de Lima E. Análise dos parâmetros físico – químicos e organolépticos de sabonetes líquidos íntimos. bjns [Internet]. 7set.2019 [citado 7dez.2019];2(3):115. Available from: http://bjns.com.br/index.php/BJNS/article/view/62

Resumo

RESUMO: A genitália feminina possui inúmeras características entre elas é ter o pH ácido e ser constituída por microrganismos que são responsáveis por manter essa região saudável e livre de odores. Contudo, a devida higienização dessa região é importante e deve ser feita com produtos adequados entre eles estão os sabonetes líquidos íntimos. Formulações essas bem preparadas, estáveis, aprovadas e classificadas como cosméticos de grau 2 pela ANVISA. Porém, muitos erros ainda são encontrados nos produtos cosméticos, no desvio de qualidade, aspecto, estabilidade e na rotulagem com a falta ou excesso de informações. Diante disso, o objetivo do estudo foi analisar os parâmetros físico-químicos e organolépticos de sabonetes líquidos íntimos comercializados em drogarias, perante as normas da ANVISA e as especificações descritas em sua rotulagem e para isso foram realizados durante 3 meses, nos intervalos de 15 em 15 dias testes de estabilidade. pH, viscosidade, densidade e as características organolépticas, afim de verificar se haveriam mudanças. Ao fim dos 90 dias observou-se que os 10 sabonetes líquidos íntimos mostraram-se sem alterações relevantes tanto nas características físico-químicas quanto nas organolépticas. Com relação a avaliação dos rótulos, ou seja, na embalagem primária, todos continham as informações obrigatórias entre elas todos os ingredientes que estão na relação nomenclatura internacional de ingredientes cosméticos (INCI), possuindo número de registro, data de validade, valor de pH entre outros. Ao fim do estudo foi possível verificar que não houve nenhuma alteração na formulação e nenhuma irregularidade nos rótulos, apresentando um resultado aceitável e dentro das especificações da ANVISA.

PALAVRAS-CHAVE: Estabilidade de Cosméticos; Genitália feminina; Rotulagem de Cosméticos.

https://doi.org/10.31415/bjns.v2i3.62
Download

Referências

Schalka S, Reis VMS. Avaliação comparativa de segurança e eficácia para produtos de higiene íntima em mulheres na menopausa. São Paulo: Copyright Moreira Jr. Editora, 2011 v.70, n.10, p. 372-376, 2013. DOI: 10.1590/S0365-05962011000300013.

FEBRASCO. Guia prático de condutas sobre higiene genital feminina. São Paulo, 2009.

ChenY, Brunung E, Rubino, J. Role of female intimate hygiene in

vulvovaginal health: Global hygiene practices and product usage. Parkway, Montvale, USA, Women’s Health, v.13: 1–10, 2017. DOI: 10.1177/1745505717731011.

Lopes AC, Moraes A, Oliveira AFR, Guimaraes BP, Oliveira CF, Betim FCM, Martinez AL, Bobek, VB. Análise físico-química comparativa de sabonetes líquidos. Visão Acadêmica, 19(2): 84-89, 2018. DOI: 10.5380/acd.v19i2.58026.

Felix NS, Cabral LP, Fernandes WS, Biazzi LSA. Analise das características físico-químicas e organolépticas de sabonetes líquidos íntimos femininos. Revista Univap, 22(40), 619, 2017. DOI: 10.18066/revistaunivap.v22i40.1283.

Campos VMC. Sabonete líquido íntimo: informa sobre o processo de produção do sabonete líquido íntimo. Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais – CETEC, 2007.

Silva KER, Alves LDS, Soares MFR, Passos RCS, Faria AR, Rolim Neto PJ. Modelos de avaliação da estabilidade de fármacos e medicamentos para a indústria farmacêutica. Revista de ciências farmacêuticas básica e aplicada, 30(2), 129-135, 2017.

Mirco J, Rocha MSD. Estudo de estabilidade de medicamentos. Rev Acadêmica Oswaldo Cruz, 2 (7), versão online.

Caneshi CA, Polonini HC, Brandão MAF, Raposo NRB. Análise de rotulagem de produtos fotoprotetores. Rev. Bras. Farm. 92(3): 208-212, 2011.

Rito PDN, Presgrave RDF, Alves EM, Villas BMHS. Perfil dos desvios de rotulagem de produtos cosméticos analisados no Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde entre 2005 e 2009. Vig Sanit Debate, 2014, DOI: 10.3395/vd.v2i3.199.

Agência nacional de vigilância sanitária (Brasil). Guia de estabilidade de produtos cosméticos. Brasília: 2004. Série Qualidade em Cosméticos. v.1. Maio 2004.

Agência nacional de vigilância sanitária (Brasil). Guia de controle de qualidade de produtos cosméticos. 2ª ed. Brasília, p.120, 2008.

Cronemberger PR, Paula SC, Meirelles LMA. Análise de sabonetes líquidos íntimos /Analysis of intimate liquis soaps. Teresina: Rev. Saúde em foco, v. 2, n. 1, art. 4, p. 49-59, jan./jul. 2015, 2(1), 49-59.2015,

Corrêa NM., Camargo Júnior FB, Ignácio RF, Leonardi,GR. Avaliação do comportamento reológico de diferentes géis hidrofílicos. São Paulo: Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, 2005 41(1), 73-78. DOI: 10.1590/S1516-93322005000100008

Oliveira BDM, Melo Filho JM, Afonso JC. Density and the evolution of the densitometer. Revista Brasileira de Ensino de Física, 2015 35 (1), 1-10. DOI: 10.1590/S1806-11172013000100024.

McGregor J A, French JI, Parker R, Draper D, Patterson E, Jones W, McFee J. Prevention of premature birth by screening and treatment for common genital tract infections: results of a prospective controlled evaluation. American journal of obstetrics and gynecology, 1995 173(1), 157-167.DOI: 10.1016/0002-9378(95)90184-1.

Çengel YA. Mecânica dos fluidos: fundamentos e aplicações. São Paulo: AMGH Editora Ltda. 2015. p.51-52.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.